Direitos de Autor

Pode acontecer fazer uns copianços de excertos de artigos ou imagens, de outros autores, com o objetivo de enriquecer a publicação de um post pessoal. Claro que tenho a preocupação de mencionar a fonte ou pedir autorização ao respetivo autor. Mas pode falhar a preocupação e lá se vai a fonte. Caso isso aconteça e alguém sinta beliscada a sua propriedade intelectual, é só "apitar" e corrige-se a "fraude", na horinha, de acordo com a pretensão do autor beliscado.
Em relação ao que escrevo, de minha autoria, como embirro com leis, decretos-leis, regras e obrigatoriedades, podem copiar o que quiserem, tirar cópias, empenar (passar para a pen), fazerem cartazes...
Sirvam-se! Mas é um bocadinho foleiro fazer seu o que é de outro.


meia bota, bota e meia

agendário 2015

Nos últimos anos, no primeiro dia de cada ano, deixo aqui o meu Agendário, coisas que agendo para mim, para os amigos, seguidores e para toda a malta interessada.
Pois este ano o agendário é editado em Abril, quer dizer, acabaram-se os planos e as agendas de rigor, agora é assim um bocadinho tudo ao molho e fé em Deus. 
Sem perder o norte (nunca devemos perder o norte), os caminhos de Fátima, os de Santiago e outros, estão assim dependentes do meu acordar e das minhas birras!...
É um acordar de cada vez!
Claro que tenciono caminhar com ou sem mochila, agora: quando? aonde? com quem? sozinho? acompanhado? ao pé coxinho? aos saltinhos? em movimento uniformemente acelerado ou retardado?
Pois não sei!
Depende do acordar e das minhas birras!
Mas para os amigos, seguidores e outros apaixonados pela vida e para que não se sintam desprotegidos, deixo aqui uns links de algumas sugestões para os vossos agendários 2015.
E, claro que estou disponível para qualquer informação e apoio, dos meu humildes conhecimentos, e que possa ser útil aos vossos caminhos. 
Abraço, não percam o norte, divirtam-se e lambuzem-se com as coisas boas da vida.




Trilhos da Terra




Caminhos de Santiago





Caminhos de Fátima




  O Porto a Pé





problemas


Umas garrafas de Casal Garcia ou de Reguengos são genéricos com largo espectro de ação e com o mesmo efeito terapêutico. 

Os efeitos secundários são idênticos, não resolvem nada, mas por momentos pensamos que sim. E como a vida também são momentos, por momentos sabe bem estar assim.

caminho de Fátima 2015




O meu caminho





Algum dia tinha de ser assim.
Foi este ano.
Passei pelo caminho e o caminho não passou por mim.
No “antes”, no “durante”, e no “depois”, nunca me encontrei com e neste caminho.
Tive alguns momentos agradáveis, reduzidos a momentos.
Parece que não estive lá, nem no caminho nem em Fátima, nem comigo nem com os outros.

A vida é uma aprendizagem, contínua e permanente.
Aprendi que o “antes” determinou completamente todo o meu caminho.
No “antes” senti-me um técnico de turismo religioso, sem alma de peregrino e de viajante, e do qual não me consegui libertar nem no “durante”, nem no “depois”.
Aconteceu.
Agora é tempo de parar, corrigir-me e restabelecer a alma.

Mas sinto-me bem, muito bem, em ter feito parte do VOSSO caminho.
Estar para os outros é a essência boa de estarmos para nós.
Obrigado por fazerem parte do meu portefólio de Amigos e companheiros de viagem.


Abraço




caminho Aveiro - Fátima 2015 a cores

porque as cores são importantes para vermos a vida colorida, seja qual for a cor é sempre vida em momentos e em memórias.

video


mais cores...


video


caminho aveiro - fátima 2015 - outros caminhos








excertos do caminho de cada um...


O Caminho de Fátima transforma-nos, torna-nos pessoas diferentes, com efeitos que perduram nas nossas vidas!!!
Aprendo muito nestes Caminhos!!!
É uma recompensa tremenda podermos lá chegar ano após ano e agradecer o que pudemos viver no último ano!
Gostaria de enaltecer o espírito de sacrifício, camaradagem e sofrimento de quem nos acompanhou pela primeira vez!!
António, Maria, Marisa e Salomé: Os meus parabéns!
Chegar a Soure já depois das 21:30 com companheiros a sofrer muito mais do que eu (é verdade, eu também sofro), mas com uma vontade enorme de alcançar o objetivo, fazem-nos acreditar que é sempre possível!! Basta querermos muito!!
Essa etapa ficará sempre na minha memória!! Vão-me ajudar e muito, nos momentos em que terei que ultrapassar dificuldades, que em condições normais, julgaria não conseguir ser capaz!!
Obrigado!!!
Paulo Mendonça

…conhecer gente espetacular que ficará nos nossos corações para a vida e agradecer a essas pessoas por lá estarem.
Daniela

Devo agradecer a todo o grupo pela ajuda, pelo apoio que me deram a cada dia que passava. Tive horas difíceis que achei que não iria conseguir, mas com a vossa ajuda foi possível.
Desta experiência retiro uma boa camaradagem entre todos e devo referir que sendo "estranha" dentro do grupo nunca o senti em qualquer momento.
Espero poder partilhar novos caminhos com todos.
Salomé Costa

Agradeço a todos a partilha de mais um caminho, o caminho que é de cada um, o caminho que é de todos.
Chegamos  ao destino, de uma maneira ou de outra...e esse é sempre um momento de alegria, de felicidade e de paz.
Tenho pena que a Ana, o Manel e o Nuno não tenham estado presentes fisicamente, mas... também chegaram!
Obrigado!
Julio Jardim

Partilhar convosco o caminho de Fátima....
Entrar no grupo com a sensação de já fazer parte dele foi bom...
Conhecer-vos foi Excelente.
Muito obrigado por me acolherem no vosso grupo.
Foi para mim uma experiência  marcante, quer no antes quer no depois ao longo do caminho.
Um Amigo ao dispor.......
Antonio Oliveira

A todos OBRIGADA.
Estou muito feliz por ter uma família tão grande. 
Até breve.
Margarida

Foi um privilégio e um prazer ter a oportunidade de partilhar o caminho com pessoas tão especiais.
Obrigada por cada momento, por cada gargalhada, por cada palavra de incentivo e de coragem, obrigada por me terem feito ACREDITAR e por não terem desistido de mim.
Um obrigada especial a todos aqueles que me acompanharam nos momentos de maior dificuldade e me "carregaram ao colo", ajudando-me a ultrapassar de forma mais leve os momentos mais dolorosos do nosso caminho e arrancando de mim sorrisos genuínos de felicidade com cada conquista conseguida.
Do fundo do coração, OBRIGADA.
Marisa

Quero agradecer aos 23 companheiros que eu tive o privilégio de acompanhar na viagem a Fátima. Irei recordar cada momento que vivi neste caminho, pois com todos eles aprendi que a vida só faz sentido se partilhada.
Espero merecer continuar fazer parte deste grupo de pessoas fantásticas.
Adelaide

Este foi o caminho de uns dias, que se prolongue pelos outros dias da vida.
Obrigado!
João Paulo

Obrigada a todos por me terem ajudado a ser feliz, naqueles dias do nosso caminho :)
Ana Lídia

caminho Aveiro - Fátima 2015 - em poesia




o caminho escrito pela Adelaide 
Olá companheiros! Como a Ana não nos acompanhou nesta viagem, aqui vão umas quadras ao jeito do poeta popular António Aleixo.










De Aveiro até Fátima
Os caminhos vou percorrer
os meus pés estão uma lástima
Sinto-me desfalecer.

Partimos de madrugada
Para os caminhos percorrer
Mas antes de cada chegada
Umas minis vamos beber.

A chuva não deu tréguas
Foi sempre nossa companheira
Percorremos várias léguas
Até à Carapinheira.

Aqui fomos beber e comer
Rancho com muita alegria
Nada nos podia entristecer
Neste momento do dia..

Com o nosso mestre Zé
Lá seguimos o caminho
Foi percorrido a pé
E sempre a muito "custinho".

Ao chegar ao Santuário
As bolhas desapareceram
Alguns mudaram de vestuário
Todos a Nossa Senhora agradeceram.

cerveja artesanal



Depois de assistir a vários Tedexes, seminários e outras palestras similares de motivação ao empreendorismo e inovação, e ao lembrar-me do que dizia o meu avô:

“Tudo o que semeares um dia vais colher”


Dediquei-me à agricultura biológica da cerveja artesanal.

lugar ao sol




Há pessoas que mesmo com lugares ao sol vagos, preferem o outro lado.

Eu procuro sempre um lugar ao sol.

Nem que tenha de esperar pelo autocarro da meia-noite.

Caminho Português - Tui / Padron ( Pé na Rota) 2014

Caminhei de Tuy a Padron com o grupo pedestre,  "Pé na Rota", foi um caminho diferente, que me foi proporcionado. Gostei!
Um grupo muito bom! 
Para além do bocadinho  do caminho (não pude fazer mais) que partilhei com todos os pés na rota certa, foi enriquecedor aumentar o numero de amigos e amigas ao meu "portofólio" social e humano.
Obrigado pelos momentos partilhados. 
Abraço a todos os "Pés na Rota." 
Deixo aqui o meu contributo.

video

A cria mais velha é mestre


Embora haja mestres com fartura, este é diferente, é cá de casa.

Com o apoio dos progenitores, do mano, da família periférica, da família Tila, de professores, educadores, outros agentes educativos, amigos, amigas, o piriquito branquinho e o peixe das postas, (já morreram), e ainda do cão e do gato, caso houvessem, e com o patrocínio da porto editora, edições asa, texas instruments, hp, insys, staedtler, pelikan, tazos, super bock, sagres, bombai, hendricks e xotes e xotinhos…, a cria mais velha concluiu com sucesso dezassete anos de livros e sebentas às costas.

Uma catrefada de gente com o menino ao colo. E o menino soube aproveitar o colo, e com todo o mérito, presenteou-nos com um final de um ciclo académico simplesmente acrobático. Com um quadruplo mortal empranchado e com uma recepção ao solo em pino. Sem mexer nem balancear. Perfeito.

Quando esta cria entrou para a UTAD os progenitores tinham que dizer qualquer coisa. Fazia parte dizer qualquer coisa, o filho ia para longe, lá se ia o cordão umbilical bla…bla…bla…e era da praxe dizer qualquer coisa.
A mãe disse mais que eu. Mas as mães dizem sempre mais. E pensam que nunca dizem tudo.

Eu, lembro-me de ter dito:

Filipe, um gajo que vá para universidade, e que passe todo o tempo a marrar, a marrar, (sabia que não era o caso) que não vê mais nada se não marrar, que acaba o curso com notas fabulosas porque teve umas palas de burro… é um tótó, um betinho… que não percebe nada disto…

Um gajo que só pense em copos e borga, que falte as aulas, e que a sua vida é estoirar o graveto dos pais, e acabe o curso com 7 ou 8 matrículas, é um otário e que não merece o lugar que devia ser de outro e não respeita os pais.

Um gajo que vá às praxes todas, que se sociabilize, que apanhe umas cagueiras com vomitanço ou sem vomitanço, que “perca” (ganhe) noites na noite, que não falte às aulas (nem que tenha de ir com óculos escuros), que durma onde for mais favorável, que crie amizades e deixe amizade…e conclua o curso nos anos previstos, é um gajo com apreço por todos. 

É um gajo digno de se lhe tirar o chapéu!

Tiramos-te o chapéu, e com vénia!
Parabéns e Obrigado, Filipe!


ano novo ou novo ano

Ano Novo ou Novo Ano

Está a chegar a noite dos rituais.
Comer 12 passas (12 desejos, cum catano tanto desejo! não basta um?). Beber Champanhe. Usar roupa nova. Entrar com o pé direito (não sei aonde, mas entrar…). Dar 3 saltinhos. Dançar em volta de uma árvore. Às doze badaladas uma beijoca na pessoa amada, caso não haja pede-se emprestada para o ritual. E outros rituais que a malta cumpre religiosamente para que o ano novo seja um ano fantástico.

Cumprimos os rituais e esperamos que tudo aconteça.
Como se o ano novo fosse assim uma coisa…, uma fada com pozinhos de perlimpimpim que nos vem proporcionar uma vida baril, (para muitos vai continuar a ser uma fada com ó), ou um antibiótico que nos vai curar das maleitas da vida.
Vimos o ano novo como uma coisa que: ou gosta de nós, que até cumprimos os rituais, e vai ser altamente, ou não gosta de nós e vais ser mais do mesmo.

E esquece-mo-nos que nós é que somos o “ano novo”.
O “ano novo” está em nós.
Nós é que temos de agir, mudar o que tivermos de mudar e nos é permitido, lutar, pensar, reflectir, pronto também podemos inflectir, e acreditar de que somos capazes de mudar para “SER” mais em nós, e sermos os atores do nosso “ano novo” e do “ano novo” do "outro".
Pode não ser fácil, claro que não é, mas é um desafio de que vale a pena investir e pensar.
Olha eu a pensar:
-Que tenho de fazer para SER mais e melhor?
-Que tenho de fazer para caminhar mais e melhor?
-Onde estive menos bem e tenho que corrigir?



E assim sucessivamente havemos de encontrar algo que dê sentido ao nosso caminho de pessoas novas no nosso “ano novo”, e também aos rituais das doze badaladas.

Para todos que o vosso “ano novo” seja um bom ano e com brindes.